Resenha: O Sonho de Eva

4 comentário(s)

“Se vamos solidificar sonhos, pode contar comigo”

A literatura nacional vive uma ótima fase, com excelentes autores nos presenteando com textos criativos, ágeis e que serão apreciados por muito, difundindo assim nossas próprias ideias e nossa cultura. É o caso de O sonho de Eva, do autor mineiro Chico Anes.
A Dra. Eva Abelar dedica sua carreira a pesquisar os sonhos lúcidos, nos quais vivenciamos as sensações, como se estivéssemos acordados, de fato vivendo aquele sonho.
Ela está em um congresso em Viena, quando recebe a notícia de que duas grandes tragédias aconteceram com sua família no Brasil. Sua irmã, Anna, se suicidou, e seu filho, Joachim, que estava sob os cuidados de Anna, está desaparecido.
Tudo aquilo, além de triste, é estranho, pois Eva não consegue acreditar que a irmã seria capaz de tirar a própria vida. Além disso, o pequeno Joachim é uma criança autista, requer cuidados diferenciados, e tem algumas habilidades especiais.
Anna trabalhava na Yume, empresa de alta tecnologia, no desenvolvimento de um jogo que, utilizando-se dos sonhos dos jogadores, seria incrivelmente real e uma inovação, capaz de mudar o mundo e até alguns conceitos, como o livre-arbítrio.

“A terceira guerra mundial será a batalha pelo inconsciente coletivo, a guerra eletrônica, que terá como campos de combate os sonhos de todos” (Pág. 170).

Após a trágica morte da irmã, Eva é convidada a trabalhar na Yume, para ajudar na fase final das pesquisas que levarão o jogo ao mercado. Apesar de hesitar a princípio, os sonhos e os instintos de Eva dizem que a Yume pode ter as respostas não apenas sobre a morte de Anna, mas também sobre o paradeiro de Joachim.
Assim, ela parte para a China, determinada a obter respostas e a recuperar o filho, podendo contar com a ajuda de seu ex-namorado, Alec, que permanece no Brasil, seguindo rastros e também respostas que poderão ajudá-los a entender a complexidade do que está acontecendo.
Os sonhos lúcidos estão presentes em diversas partes da narrativa, permeando a vida de vários personagens, e sendo tão vivos, que podem chegar a impressionar. Há uma bela jogada da trama com a protagonista e a figura de mesmo nome, conhecida de todos nós, que, um dia, foi tentada no paraíso por uma serpente e um fruto proibido.

“A serpente torna a escalar os galhos e volta com outra fruta. Em vez de jogá-la, ela a morde, mastigando-a até transformá-la numa pasta viscosa, que lhe escorre pela boca. Desliza pela árvore, arrasta-se até meus pés e escala meu corpo nu, enlaçando-me” (Pág. 51).

A escrita de Chico Anes é ótima, assim como as informações dadas ao longo da narrativa sobre o universo onírico. Em alguns pontos senti-me apenas um pouco incomodada com alguns diálogos. Aprecio a caracterização que autor deu a cada personagem, tentando, inclusive, diferenciar a forma falada entre mineiros e paulistas, por exemplo, assim como as diferenças de idade. Porém, em alguns momentos, as formas de tratamento e a forma caricata como alguns diálogos foram escritos me incomodaram um pouco (sou paulista, mas vivi em Minas por cinco anos, onde fiz faculdade). Essa é a única ressalva, que certamente é apenas uma questão de gosto pessoal, em uma narrativa muito bem elaborada, cheia de ação e reviravoltas, com um final agitado, que, além de trazer respostas, não desagradará nenhum leitor.

Trecho: “Existem armas bem diferentes dessa aí que deve ter no seu coldre do tornozelo. Me diga: e se eu fosse capaz de me apoderar dos sonhos das pessoas? O que acha que eu faria? Escolher as imagens com as quais sonhará à noite, entrar no seu sonho e mudá-lo como bem entendesse. E se eu pudesse fazer isso, hein? O que você diria?” (Pág. 7).


Informações:
Título: O sonho de Eva
Subtítulo: Dormir pode ser um jogo perigoso
Autor: Chico Anes
Gênero: Suspense, Fantasia
Editora: Novo Conceito
Páginas: 304

Borboletas azuis:




Agradecimentos à editora Novo Conceito, por ceder o livro para o blog. Saiba mais sobre ele clicando aqui.



4 comentários:

Fabrica dos Convites disse...

Oi Fabiane, infelizmente não gostei muito deste livro.
Bjs, Rose.,

Fabiane Ribeiro disse...

Oi Rose!
Obrigada pela visita.
Que pena que este não livro não te agradou muito, eu gostei, sim, da leitura, mas sei que realmente tudo é uma questão de química entre e o leitor e a história rs... :)

Volte mais vezes! Beijinhos,
Fabi

Anna Victória disse...

Nossa estava doida para ler agora então fiquei mais emocionada :))

Joyce Lacerda disse...

Oi, eu estou lendo esse livro, Chico Anes é um excelente escritor, a narrativa do livro é realmente muito boa, o livro é tão fascinante que as vezes ficava me perguntando se estava sonhando ou nao, rsrs, Sua resenha esta maravilhosa, O Brasil precisa de mais escritores como Chico. beijos.

Postar um comentário