Resenha: Liberta-me

9 comentário(s)

“Eu esqueço, às vezes, que há pessoas por aí que ainda conseguem sorrir todo dia, apesar de tudo”.

Melhor que a série Estilhaça-me, só a escrita fabulosa de Tahereh Mafi. O que dizer dessa autora?
Sua escrita é tão genuína, única e profunda, que nos prende na história, como poucos autores conseguem fazer. A sutileza de detalhes. A combinação perfeita de palavras, metáforas, sentimentos. A profundida das descrições, das cenas, das emoções.
Liberta-me consegue ser superior ao já excelente primeiro volume da saga. Não sou tão fã de triângulos amorosos como costumava ser, mas não é que Mafi conseguiu me fisgar?! Adoro todos os seus personagens e confesso que fico dividida entre as opções amorosas de Juliette. Sou #TeamNãoSeiAinda.
Este segundo volume começa exatamente onde o primeiro acabou. Mais uma vez, nos vemos dentro dos pensamentos conturbados da protagonista Juliette – capaz de matar com apenas um toque. Suas aflições, o medo de ser quem é, as dúvidas sobre o treinamento de seu “dom” e a aceitação desse poder... Tudo está ainda mais intenso.
Outros personagens ganham destaque. Nosso já conhecido Adam, além de outros, que têm ainda mais destaque desta vez, como o excelente e bem-humorado Kenji, Castle, e, claro, Warner, que nos faz prender a respiração em cada cena que aparece!
Um mundo triste existe nesta bela narrativa distópica. Um mundo sem verde, pássaros e liberdade. E quantas vezes, ao longo do livro, passagens que representam um possível futuro da humanidade fazem nosso coração estremecer... ou seria estilhaçar?

Atenção, se você não leu Estilhaça-me, interrompa a leitura desta resenha por aqui.

Trecho com spoilers do primeiro livro da saga: Em Liberta-me, Juliette está no Ponto Ômega, o quartel secreto da resistência ao Restabelecimento, no qual foi abrigada no final do primeiro livro. Ali ela convive com pessoas que, como ela, são desvios da natureza, conseguem canalizar suas energias em diferentes dons, e são treinados para a guerra que se aproxima. Seu namoro com Adam pode estar comprometido, por questões que eles mesmos não imaginavam, assim como a arrogância e as tendências psicóticas de Warner podem ter explicações mais complexas do que supúnhamos. Falando em Warner, ele continua a procurá-la, desde sua fuga em Estilhaça-me, e está cada vez mais obcecado. O treinamento de Juliette não começa bem, mas a guerra se aproxima, e ela parece não ter muito mais tempo para apenas treinar, nem para continuar com o coração dividido.

Trechinhos para apreciar:

“Minha visão perde e recupera o foco e tenho que piscar cem vezes para clareá-la, apenas para ver uma fenda chiar sob meus pés, uma fina linha quebrando o chão. Tudo ao meu redor, de repente, está sem equilíbrio. A pedra está gemendo sob o nosso peso e as paredes de vidro estão chacoalhando e fazendo barulho e as máquinas estão saindo do lugar e a água está batendo contra seu recipiente e as pessoas... As pessoas. As pessoas estão congeladas de terror e horror e o medo em suas expressões dilacera-me (...). Olho ao redor. Para o chão. Para o que eu fiz. E entendo, pela primeira vez, que tenho o poder de destruir tudo” (Pág. 65).

“É mais difícil agora. Muito mais difícil resignar-me a uma existência de gelo e vazio agora que já conheci o calor, a urgência, a ternura e a paixão; o extraordinário conforto de tocar outro ser.” (Pág. 106).
“A solidão é uma coisa estranha. Ela chega se arrastando até você, silenciosa e tranquila, senta-se ao seu lado no escuro, acaricia seu cabelo quando você dorme. Ela se enlaça ao redor dos seus ossos, apertando tanto que você quase não consegue respirar, quase não consegue ouvir o pulso acelerado em seu sangue conforme ela sobe pela sua pele e toca os cabelos macios de sua nuca com seus lábios suaves. Ela deixa mentiras em seu coração, deita-se ao seu lado à noite, suga a luz de cada canto” (Pág. 111).

“Meus ossos, meu sangue, minha pele. Eu disse a ele que era uma teoria interessante. Disse a ele que sempre me vi como um tipo de versão doentia de uma planta carnívora (...). Bonita o bastante para atrair a presa, ele disse. Forte o bastante para apertar e destruir, ele disse. Venenosa o suficiente para digerir as vítimas quando a carne entra em contato” (Pág. 169).

“Sem medo. Sem desconfiança. Oficialmente, tornei-me uma deles. Vou lutar com eles, por eles, contra o mesmo inimigo. Posso ver o que está nos olhos deles porque estou começando a me lembrar dessa sensação. Esperança. É como uma gota de mel, um campo de tulipas florescendo na primavera. É chuva fresca, uma promessa sussurrada, um céu sem nuvens, a pontuação perfeita no final de uma frase. E é a única coisa no mundo que me mantém em pé” (Pág. 197).

“Nos dias mais escuros, você tem de procurar um ponto de luz; nos dias mais frios, você tem de procurar um ponto de calor; nos dias mais desoladores, você tem de manter os olhos para frente e para cima e, nos dias mais tristes, você tem de deixá-los abertos para permitir que chorem. Para, então, permitir que sequem. Para dar a eles uma chance de lavar a dor, para verem com frescor e clareza mais uma vez” (Pág. 317).

Informações:
Título: Liberta-me
Autora: Tahereh Mafi
Gênero: Romance, Fantasia
Editora: Novo Conceito
Páginas: 448

Borboletas azuis:



Agradecimentos à editora Novo Conceito, por ceder o livro para o blog. Saiba mais sobre ele clicando aqui.



9 comentários:

thaila oliveira disse...

como eu não ligo pra spoilers li a resenha toda! eu ainda não consegui ler estilhaça-me, só vi um quotes e folheei um pouco, mas ja da pra parceber que é um super livro! gostei bastante da capa do segundo volume, apesar de ser tão criticado por alguns fãs. Eu baixei tambem o conto, mas tambem não li. Acho que estou esperando a trilogia, pois assim ja mata a curiosidade de uma vez só kkk.

Deixo aqui o link do meu cantinho que foi criado como uma forma de sair um pouco do estresse e me divertir, ainda estou apanhando e com muitas dúvidas, mas tudo é publicado com muito carinho! http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

Karen Stefanie disse...

Oii, tudo bem?
Te indiquei pra responder um selinho, passa lá no blog pra conferir!
beijos

http://osnarnianos.blogspot.com.br/2013/06/tag-selinhos-liebster-award-e-este-blog.html

Jheyscilane disse...

Fabi, eu sou Team Adam u.u e você deveria ser também (Jhey mandona, to brincando ahahah) qual é o apelo do Warner? Eu meio que ainda não o entendo bem rsrs
Quero que o meu exemplar chegue logoooo, fiquei triste com o "empacamento" no namoro do Adam e da Juliette :( justo nesse livro eu pensava que teria mais momentos fofos dos dois, magoei com a autora agora kkkkkk
Beijos,
Jhey
www.passaporteliterario.com

Fabiane Ribeiro disse...

Oiii meninas!!!

Jhey,
hahaha, tô rindo do seu comentário, flor. Eu entendo, o Adam é um fofo mesmo e tbm o adoro. Pode ficar tranquila, pois o namoro deles fica comprometido sim, mas apenas depois de muitas cenas lindas, então tenho certeza que vc vai amar Liberta-me!
Sobre o Warner, ele tem um destaque diferente nesse volume. Mesmo se vc for fiel ao Team Adam, haha, tenho certeza que passará a ver o Warner com outros olhos. Depois que fizer a leitura, não deixe me contar oq achou. Essa série se tornou uma das minhas preferidas e, sem dúvida, Liberta-me é o auge dela, do romantismo, da ação e até da fantasia.

Thaila,
nem me fale. Eu tô morrendo de ansiedade aqui, pq já queria ter a continuação nas mãos, mas só sai ano que vem! Estou indignada! Acho que vc está certa em esperar, pq assim não sofre com a espera :/

Karen,
obrigada, vou conferir sim.

Beijos, meninas, obrigada pelos comentários!!!

Cristiane de oliveira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cristiane de oliveira disse...

Ainda não li Estilha-me e só vou fazer quando tiver toda a série, acho melhor do que ficar esperando desesperadamente a outra parte sair.
Estou lendo as resenhas pra saber se vale mesmo a pena ler e acho que vou gostar de tudo, por enquanto as resenhas são bem positivas.

Fernanda - Trilhas Culturais disse...

Eu adorei Estilhaça-me e estava receosa quanto a este mas saber que ele é melhor...empolga. Este livro esta reservado para ser uma das leituras de julho.

Juliana Mendes disse...

Eu li Estilhaça-me e simplesmente amei a escrita da autora! Além, é claro, do livro ser muito bom! (:
A capa do segundo da série é bem feia rsrs, mas pelo que todos estão dizendo, parece que este segundo volume está bem melhor que o primeiro!
Adorei os quotes ;D

Beijo,
salaodelivros.blogspot.com.br

Alice Guerreiro disse...

Esse livro é maravilhoso e narrativa da autora é poética, fabulosa! Vc devia ler o conto Destrua-me que é sob o ponto de vista do Warner apos o Estilharça-me, ai vc ia virar TeamWarner, acredite!

Postar um comentário