Resenha - "Marina"

13 comentário(s)

Marina é um livro que deixa marcas tão profundas que, após virar a última página, ainda me sinto dentro da história. Eu li o livro todo em um final de semana e, sinceramente, queria que não tivesse acabado. Através de personagens marcantes e uma história que te prende até o último suspiro, fazendo com que você se sinta a viajar pelas ruas da antiga Barcelona, Carlos Ruiz Zafón construiu aqui um romance memorável. Segundo ele mesmo confessa no livro, de todos os romances que escreveu, Marina é o seu favorito; é o mais pessoal de todos para o autor e, segundo ele, o mais indefinível. Sim, é difícil caracterizar Marina. Então, simplifiquemos, dizendo que se trata de um romance-suspense-aventura. Ou melhor, continuemos com o “indefinível” usado pelo próprio autor. Zafón é aquele escritor de quem sempre ouvimos falar. Eu só ouvia elogios a seus romances (o mais famoso é A Sombra do Vento), mas nunca havia lido nada de sua autoria. Mas isso foi antes de ler Marina. Agora, sou sua fã e mal vejo a hora de experimentar as outras histórias do autor espanhol.
A história é ambientada na Barcelona do século passado, narrada em primeira pessoa por Óscar Drai, um garoto de quinze anos que vive em um internato. Nos horários livres, ele sempre gostou de passear pelas ruas da cidade velha e, em um de seus passeios, descobre um casarão que jurava estar abandonado. De fato, lá era o lar de Marina, seu pai Gérman, e, claro, seu gato Kafka.
Óscar acaba por envolver-se com Marina de todas as formas possíveis. E, atendendo ao pedido da nova amiga, ele a acompanha até um cemitério escondido na velha Barcelona, onde Marina observa com curiosidade uma dama de negro que sempre visita um túmulo sem nome. Eles seguem a estranha figura e, a partir daí, o que parecia ser um lindo e doce romance histórico, vira um livro de suspense. Óscar e Marina acabam entrando em uma história que começou há muitas décadas e que até hoje é um grande enigma. Envolvem-se com médicos, empresários, artistas e policias de tempos remotos, na busca pela verdade. E a verdade, meus amigos leitores, é uma história de arrepiar (claro, não vou entregar os pontos aqui). E ainda, após a verdade revelada, há muita ação para que vidas sejam salvas e um final emocionante. Gostaria de destacar dois pontos fortes da narrativa de Zafón: o primeiro é a descrição do cenário – simplesmente perfeita! Eu nunca estive em Barcelona; pelo menos não antes de ler Marina. Você se sente tragado para aquele clima de “cidade velha”; há também uma cena em que Marina, Óscar e Gérman vão a uma praia deserta (o local preferido de Marina no mundo) que é de sutil beleza. O segundo ponto forte seria a capacidade de prender o leitor que o narrador demonstra. Com 28 capítulos curtos e (apenas) 192 páginas, Marina tem uma narrativa rápida e o autor sabe soltar as informações nos momentos precisos, reinventá-las e desmenti-las. Uma verdadeira teia de informações e conflitos. Não sei dizer ao certo um ponto falho, mas a grande verdade da história, que os personagens tanto buscam, é fantasiosa e até amedrontadora. Mas vale tudo, quando se trata de tamanha obra-prima.  

Trecho: “No final da década de 1970, Barcelona era uma miragem de avenidas e becos, onde, só de cruzar a soleira de uma portaria ou de um café, uma pessoa poderia viajar para trinta ou quarenta anos antes(...) O início do outono tingia as árvores de cobre. Caminhamos até a grade da entrada; Kafka ronronava ao sol. Ao chegar ao portão, a menina ficou no interior da propriedade e me deu passagem. Ficamos nos olhando em silêncio. Ofereceu a mão e eu a apertei. Senti seu pulso sob a pele aveludada”.

Título: Marina
Autor: Carlos Ruiz Zafón
Gênero: Suspense, Romance
Editora: Suma de Letras
Páginas: 189

Borboletas azuis:



13 comentários:

Jacqueline Braga disse...

Nossa Fabi, deu a maior vontade de comprar seu livro só por causa da resenha!!
Li algumas, mas ainda não tinha me convencido sabe?
amei, amei.
bjos

Jack

Fabiane Ribeiro disse...

Oii Jack!
Que bom!!Fico mto feliz!

Eu amei Marina, quero ler mais títulos do autor!

um beijo**

thaísa farias disse...

Eu AMEI sua resenha, apenas.
Já li A Sombra do Vento (em janeiro faz dois anos *-*) e O Jogo do Anjo.
Simplesmente i-n-c-r-í-v-e-i-s. Sobretudo o primeiro.
Zafón é mestre. Sorte que ganhei Marina em um sorteio, só estou no aguardo haha

Thais (Viaje na Leitura) disse...

Oi Fabiane!

Eu simplesmente amei esse livro e recomendo muito!

Bjão

Paul Law disse...

Parece ser uma história muito legal... já tinha ouvido falar do autor também.

Parabéns pela resenha, Fabiane! Sucesso!

Abraços!

Bruna Miranda disse...

Ainda não tinha visto uma resenha de Marina e ainda bem que vi essa; estava na dúvida se deveria ler ou não e agora estou sem nenhuma! Valeu pela dica! =)

beijos! já estou seguindo o blog ;D

Adriana T disse...

Quero muito ler Marina, ainda não li nenhum livro do autor e acho que vou começar por esse.

Verônica Sobreira disse...

Oi Fabiane, eu acabei de ler este livro e fiz uma resenha para meu blog que ainda não foi publicada. Sou fã incondicional deste autor, e Marina foi um livro que me surprendeu mais uma vez com a capacidade que Carlos Ruizafón tem de contar histórias.

Fabiane Ribeiro disse...

Oii pessoal, fico feliz de ver o interesse de vcs...o livro vale muito a pena!
Verônica, o autor é excelente, quero muito ler outros títulos dele, já firei fã...rs.
Beijos!

Maria Silvana Santana. disse...

Olá Fabiana =)
gosto muito dos livros do Carlos R.
da forma que ele sempre pega a Barcelo em seus livros.
Ganhei esse livro de presente |õ/
ainda não chegou, mas já estou ansiosa, para ler.
Bjs

Isabela Biasetti disse...

Adorei os dois livros dele que já li! São ótimos e prendem o leitor do início ao fim. E quando terminam, ainda ficamos pensando dias nos personagens!! Não vejo a hora de ler Marina!

Ótima resenha!

Fabiane Ribeiro disse...

Olá meninas!
Maria: que sorte ganhar esse livro, realmente ele é maravilhoso!
Isa: Eu quero ler mais livros do autor, virei sua fã hehe... os personagens realmente são inesquecíveis; estou sempre pensando em Marina...

Beijos!

Suelen disse...

Amei essa resenha, quero muito ler esse livro!

Postar um comentário