Resenha: Rose na tempestade

1 comentário(s)

“Examinou-o com atenção, o focinho virado para ele, farejando a tristeza e o sofrimento, o pesar que brotara de dentro do dono havia algum tempo e fazia agora parte cotidiana dele”.

Rose na tempestade é um livro lindo, que mexe com nossas emoções e passa lindas mensagens de amor aos animais e respeito à natureza.
Entretanto, antes que essas lindas mensagens fossem transmitidas e que a história realmente começasse a prender... 100 páginas já haviam se passado.
O começo morno e extremamente detalhado a respeito do cotidiano de Rose e do funcionamento da fazenda em que ela vive, além das mudanças repentinas no tempo e ritmo da narrativa, fizeram com que eu quase abandonasse a leitura. Seria uma pena, e ainda bem que persisti, pois a segunda metade do livro me entregou uma leitura envolvente e apaixonante.
Rose é uma Border Collie que vive numa fazenda junto de seu dono Sam, ajudando-o diariamente a cuidar do funcionamento do lugar e de todos os animais. Ovelhas, cabras, galinhas, vacas, gatos e até uma mula. Aliás, adorei o nome de vários dos personagens, como Winston, o galo; Carol, a mula; Brownie, o touro.
Como já dito, o dia a dia, as funções e o amor que Rose tem por seu trabalho na fazenda são muito bem detalhados e explorados pela narrativa, assim como a interação entre as diferentes espécies que lá vivem. No decorrer das páginas, passei a amar não apenas a Rose, mas muitos de seus companheiros. Há cenas emocionantes, com verdadeiras lições de vida, que a cadelinha divide com seus amigos, seja a mula, o galo, o cão selvagem.
Falando em cão selvagem, ele se tornou um dos meus personagens favoritos. Sua vida é descrita em poucas linhas, mas é o suficiente para que nos apeguemos ao velho cão, amigo de Rose, que vai à fazenda em busca de abrigo e alimentação durante a tempestade que se aproxima.
A tempestade em si é a grande vilã do livro, trazendo a tragédia para aquele lugar de que Sam e Rose tomam conta com tanto amor.
A grande nevasca provoca grandes estragos, mas também grandes mudanças, levando os personagens a situações extremas.
Rose é extremamente leal. Isso fica evidente em cada atitude que ela toma, assim como em seus pensamentos – que são divididos com os leitores durante a narrativa (mesmo que ela aconteça em terceira pessoa).
Apesar de o começo ter sido um pouco lento, uma vez que me apeguei aos personagens e que a história decolou, não há como negar a beleza dessa narrativa, a suavidade de suas mensagens e o bem que sentimentos ao acompanhar um animalzinho tão cheio de amor, bondade e determinação cuidar de si mesmo em meio a adversidades, mas também se preocupar com os companheiros e com a fazenda, que é seu lar.
Recomendo a leitura a todos, e, caso alguém se sinta um pouco entediado no começo, como aconteceu comigo, dê uma chance à história, ela se torna absolutamente emocionante conforme a trama avança.
Não há como não se render ao charme e à coragem de Rose e de seus amigos da fazenda. Até mesmo seu dono, Sam, que passara recentemente por uma difícil perda, e é bastante introspectivo e concentrado, tem bons momentos na história, com cenas e sentimentos valiosos que nos são passados. E meu elogio final nesta resenha fica à capa maravilhosa do livro, bem mais bonita que a versão original, com a carinha da Rose em destaque; impossível não se apaixonar.

Trecho: “Perdera a pista do dono. Então parou, ao lembrar-se de que ele não estava na casa. Olhou para o telhado, a escada e em seguida o cachorro selvagem. Precipitou-se celeiro adentro, onde Sam pegara a escada, então tornou a sair como um raio até o lugar onde o vira pela última vez (...). O cachorro selvagem permaneceu imóvel, o rufo marrom e preto coberto de neve, observando-a. As ovelhas do alto no celeiro sobre estacas gritaram por ela, como se pudesse levá-las ao pasto, à comida, mas Rose ignorou-as. Ergueu os olhos para o Blackface e seu olhar foi claro: fique onde está” (Pág. 114).

Informações:
Título: Rose na tempestade
Autora: Jon Katz
Gênero: Drama
Editora: Novo Conceito
Páginas: 240

Borboletas azuis:




Agradecimentos à editora Novo Conceito, por ceder o livro para o blog. Saiba mais sobre ele clicando aqui.

1 comentários:

Gladys Sena disse...

Gosto de tramas com animais e, claro, que lerei esse livro.

Bjo!

http://meuhobbyliterario.blogspot.com.br/

Postar um comentário